Pós-Moderno

Eu quero falar em primeira pessoa
a seguinte loucura:

-Eu sou a última pessoa, você é a última pessoa!

As pessoas não existem.

Isso não é sobre poesia.
Isso não é sobre a Escola de Frankfurt.
Isso não é sobre política ou poços de petróleo.
Isso não é sobre movimentos sociais ou zoológicos.
Isso não é sobre ataques zumbis.

Nada é mais importante que uma explosão.

O que interessa
não é
o objeto
e
ou pessoa
que
explode.

O que interessa é o barulho.
O fogo e o artifício.

Isso não é sobre Deus ou drogas sintéticas.
Isso não é sobre a guerra do Paraguai.
Isso não é sobre a reprodutibilidade técnica da arte.
Isso não é sobre o contrabando.
Isso não é sobre as estatísticas - isso não é sobre morrer.

Para estar vivo
não é preciso viver, basta escolher:

mas qual prateleira?

Isso não é sobre o amor.
Isso não é sobre a propriedade privada.
Isso não é sobre o mal estar da civilização.
Isso não é sobre sobreviver a esse mal.
Isso não é sobre os filhos e netos da depressão.
Isso não é sobre os suicidas fracassados.
Isso não é sobre nada.
Isso não é.

5 comentários:

ivan cunha disse...

Para estar vivo
não é preciso viver, basta escolher:

mas qual prateleira?

PUTA QUE PARIU VEI!!

Foda!

Tiago Fagner disse...

Me bateu uma saudade dos tempos do blog, hoje. Feliz que tenha acontecido, só assim viria aqui. Muito bom cara, é vital que não nos perdamos da poesia, com o perdão do trocadilho :P

coffee-break disse...

"As pessoas não existem"

Isso não é sobre a poesia, meus cumprimentos ao poeta que existe em você!

Muito bonito!

beijos

Bianca Ziegler disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Clarisse disse...

que boa lembrança que me vez voltar aqui! :)

Postar um comentário